Como continuar trabalhando durante o isolamento – Proteção contra o Covid-19 para garotas de programa

Após meses de isolamento social graças ao Covid-19, fica difícil esticar as economias e permanecer sem trabalhar. Porém, ao mesmo tempo, o medo iminente da contaminação não sai da cabeça, não é mesmo?

Cientes disso, reunimos um conjunto de sugestões de proteção, de acordo com o epidemologista e professor do departamento de medicina da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Bernardino Alves Souto

Não estamos incentivando que ninguém fure o isolamento. Entretanto, se você realmente tiver que voltar ao trabalho, com essas informações em mãos, será possível continuar ou retomar os atendimentos do modo mais precavido possível.

Então é hora de arregaçar as mangas, fazer uns pequenos ajustes no local de atendimento, e partir para a luta!

Quais medidas devem ser tomadas contra o coronavírus?

4oy88Xpb UZ5VetlGIJak1hpUqsQr2WS49CKFKpMTTEStfUqzZB1p79dYvu0BsRo4aIb2Tlc16nwZ2tes3nHWvNJk66lnnS5uknqB8EXpvWOcKaXtach4CGRXME5WOuulTj0mPcj 1

Sabemos que, trabalhando ou não, as medidas básicas de segurança contra o coronavírus devem ser tomadas. Porém, em uma atividade tão próxima como a das acompanhantes, é necessário uma proteção ainda maior!

Bernardino Alves Souto lembra que é impossível impedir a transmissão da Covid-19 durante relações sexuais caso um dos parceiros esteja infectado, mesmo que o parceiro não tenha nenhum sintoma. Pessoas infectadas sem sintomas também podem transmitir o vírus da Covid-19. Portanto, durante o atendimento, para garantir ao máximo a sua segurança e a do cliente, garanta os seguintes itens.

Entendemos que para muitas de vocês, estas recomendações são bem complicadas de serem seguidas. Gostariamos de reforçar que nosso papel é apenas de passar a recomendação de especialistas, e quanto mais recomendações você conseguir aderir, melhor!

Se possível, faça programas com intervalo de 15 dias

  • Faça o teste RT-PCR ou sorológico (não serve teste rápido) 3 a 5 dias antes de cada programa.
  • Se possível, procure evitar encontros presenciais em um curto período de tempo.

“A recomendação é que as garotas não façam mais de um programa presencial a cada duas semanas (máximo de 2 encontros por mês com intervalo de 15 dias)” Dr. Bernardino Alves Souto.

Como se proteger durante o programa

  • Peça que o cliente deixe seu calçado na entrada, ou do lado de fora do apartamento.
  • Receba o cliente no local com álcool em gel para as mãos, e peça educadamente para que o mesmo tome uma ducha.
  • Separe um local para as roupas do cliente, já que as mesmas podem conter o vírus. Peça para que ele as toque e vista somente no momento da saída.
  • Garanta que ambas as partes estejam de máscara.

“Não há evidência científica de que limpar os pés em álcool ajuda no combate ao Covid-19. Além disso, álcool é perigoso por ser inflamável. A sugestão ideal é que o cliente retire o calçado antes de entrar e o deixe em um lugar seguro, junto com suas roupas ou, preferencialmente, do lado de fora.”

“Tanto a garota quanto o cliente deverão usar máscara o tempo todo, e substituí-la de uma em uma hora durante o programa. Se for máscara N95, trocar a cada 8h.” Dr. Bernardino Alves Souto.

Cuidados durante o sexo

  • Nada de beijos ou posições sexuais cujos rostos estejam próximos.
  • Caso opte por fazer sexo oral, peça para que o cliente esteja de máscara, já que você será obrigada a retirar a sua.
    Quando possível, evite o ar condicionado ou ventilador, dando preferência à janela aberta e quartos arejados.
  • Não compartilhe nada de uso pessoal como copo, batom ou cigarro.

Cuidados após o encontro

  • Descarte as máscaras após o atendimento.
  • Higienize objetos e superfícies com álcool gel 70%.
  • Brinquedos sexuais como pênis de plástico, vibradores e outros, devem ser lavados com água e sabão. Não usar equipamentos que não possam ser lavados com água e sabão. Limpar estes brinquedos com álcool pode afetar mucosas (boca, ânus, vagina, glande do pênis, olhos, etc.) e causar lesões nesses órgãos.
  • Lavar bem o corpo, principalmente mãos e rosto imediatamente, ao final do programa, ou antes de iniciar os programas do dia.

“As garotas nunca devem reutilizar as máscaras. É recomendado descartá-las em lixo de banheiro logo após a retirada.” Dr. Bernardino Alves Souto.

Suspenda seus atendimentos caso haja exposição ou sintomas

É totalmente recomendada a suspensão dos atendimentos caso haja suspeita ou confirmação de contaminação por sua parte ou por parte do cliente.

O mesmo vale para clientes

Caso o cliente chegue ao local com sintomas como tosse seca, falta de ar, cansaço ou desconfortos no geral, pode ser interessante explicar a situação e remarcar a data do modo mais educado possível. Afinal, assim como você deve evitar atender em caso de suspeita, para protegê-los, o inverso também é válido para que você possa estar em segurança. Procure verificar se o cliente está com sintomas já no contato telefônico ou virtual, antes do encontro presencial.

“Não é recomendado o encontro com pessoas sintomáticas ou que tiveram contato com alguém com sintoma respiratório nos últimos 14 dias. Além disso, também devem ser evitados encontros cujos clientes não tenham feito isolamento social neste período ou que estiveram em contato com alguém com teste positivo para Covid-19 nos últimos 14 dias.” Dr. Bernardino Alves Souto.

O isolamento é a melhor opção, porém, não é possível para todos

São diversas as medidas necessárias para minimizar o risco de contaminação. Com isso, fica claro que a melhor opção seria realmente não realizar atendimentos. Porém, todos precisamos de uma fonte de renda. Com as garotas de programa não poderia ser diferente!

Caso você precise prosseguir com os atendimentos, não economize nos cuidados. Siga a risca cada detalhe do artigo e garanta o melhor resultado!

Ah, também vale citar que diversas garotas de programa vem relatando o sumiço dos clientes na pandemia, já que os mesmos estão com medo da contaminação por falta de cuidado das profissionais. Então, proporcionar uma experiência o mais segura possível ainda te garantirá alguns retornos, além de uma divulgação boca a boca entre os próprios clientes!

Caso você ainda esteja em dúvida sobre algo, não hesite em deixar seu comentário na seção logo abaixo. Estamos sempre de olho em tudo!

Abaixo, confira na íntegra todas as recomendações de Dr. Bernardino para profissionais do sexo e clientes.

CONSIDERAÇÕES SOBRE SEXO E COVID-19

Bernardino G. A. Souto – Médico epidemiologista e prof. de Medicina na UFSCar

­O vírus que causa a Covid-19 passa de uma pessoa para a outra por meio do ar da respiração, tosse, fala ou espirro, e por meio de mãos ou objetos contaminados quando em contato com o rosto. Ambientes fechados e com ventilação artificial favorecem ainda mais o contágio. Não é uma doença de transmissão sexual como a Aids, a gonorréia, a sífilis e outras. Entretanto, podemos considerar que é praticamente impossível impedir a transmissão do vírus da Covid-19 durante relações sexuais, caso um dos parceiros esteja infectado. Pessoas infectadas por este vírus podem transmití-lo mesmo que não tenham nenhum sintoma.

Não obstante, consultado sobre o procedimento a ser adotado por pessoas que não têm como deixar de praticar atividades sexuais por necessidade de trabalho, é possível sugerir as medidas abaixo, entre outras que podem ser adotadas. Porém, é preciso considerar que, mesmo com todo esse cuidado, é grande o risco de transmissão da Covid-19, caso em que um dos parceiros esteja infectado.

PENSANDO EM PROTEGER A GAROTA E A FAMÍLIA DELA

  1. Não marcar encontro com pessoa com algum sintoma respiratório, que teve contato com alguém com sintoma respiratório nos últimos 14 dias, que não tenha feito isolamento social neste período ou que tenha tido contato com alguém com teste RT-PCR ou sorológico positivo para Covid-19 nos últimos 14 dias;
  2. Não marcar encontro com pessoa que tenha tido um teste RT-PCR ou sorológico positivo para Covid-19 nos últimos 30 dias (não serve teste rápido);
  3. Exigir que a pessoa apresente teste RT-PCR ou sorológico negativo para Covid-19 realizado nos últimos 5 dias (não serve teste rápido);
  4. Não usar ar condicionado ou ventilador no ambiente em que estiver com o cliente. Preferir programas que possam ser feitos em lugares abertos e ventilados;
  5. Tanto a garota quanto o cliente, usar máscara o tempo todo. A máscara ideal é a N95. Preferir posições sexuais que não aproximem o rosto um do outro;
  6. Não ter nenhum tipo de contato oral com a boca, nariz, rosto e mãos do cliente. Evitar contato com as mãos ou rosto do cliente (mãos e rosto são as partes que mais transmitem o coronavírus);
  7. Só fazer programa em lugares que tenham planos de contingência contra a Covid e, portanto, adotam rigorosas medidas de higiene ambiental e outras medidas preventivas respectivamente indicadas, em caso de motéis, hotéis ou similares;
  8. Só usar alimentos ou bebidas servidos em embalagem industrializada e fechada. Ainda assim, lavar a embalagem, garrafa, copo, etc. com água corrente e sabão por pelo menos 20 segundos antes de abrir a embalagem ou usar o objeto. Não compartilhar nada de uso pessoal como copo, escova de dente, baton, cigarro, não beber na mesma garrafa, etc.;
  9. Lavar bem o corpo, as mãos e o rosto antes de qualquer contato físico e imediatamente ao fim do programa. Solicitar ao cliente que faça o mesmo. Não tocar nas roupas ou objetos pessoais do cliente. A roupa usada tem que ser posta imediatamente para lavar ao fim do programa;
  10. Não se deslocar ao local do programa em transporte coletivo;
  11. Trocar a máscara de uma em uma hora durante o programa. Se for máscara N95, trocar a cada 8h. Em caso de tosse ou espirro, trocar a máscara imediatamente. Levar máscaras de reserva;
  12. Se utilizar máscaras caseiras, optar por máscaras de 3 camadas, amplas e bem ajustadas ao rosto;
  13. Nunca reutilizar as máscaras e sempre descartá-las em lixo de banheiro após retirá-la;
  14. Passar álcool em gel 70% nas mãos, superfícies e objetos com frequência durante o programa, cuidando para que não haja contato direto do álcool com mucosas (olhos, boca, nariz, vagina, glande do pênis, ânus, etc.);
  15. A garota que morar com alguém que tenham mais de 60 anos, alguém que seja diabético, hipertenso, tenha problemas imunológicos, doenças crônicas dos pulmões, fígado, rins ou coração ou for muito obesa não deverá fazer programas presenciais porque poderá trazer o coronavírus para casa, infectar a pessoa com quem mora e esta pessoa adoecer com a forma grave da Covid. Garotas que têm os mesmos problemas citados também correm o risco de contrair a Covid na forma grave e maior risco de morte por Covid. Garotas grávidas também são consideradas de maior risco;
  16. Não fazer programas com mais e um cliente ao mesmo tempo. Que no programa, seja só a garota e um único cliente;
  17. Artigos sexuais como pênis de plástico, vibradores, etc., devem ser lavados com água e sabão. Não usar equipamentos que não possam ser lavados com água e sabão. O uso de produtos com álcool em mucosas (boca, ânus, vagina, cabeça do pênis, nariz, olhos, etc.) pode causar lesões importantes nesses órgãos.

PENSANDO EM PROTEGER O CLIENTE

  1. A garota não deverá marcar nenhum encontro presencial se estiver com qualquer sintoma respiratório, se tiver tido contato com alguém com sintoma respiratório nos últimos 14 dias, se não tiver feito feito isolamento social neste período ou tenha tido contato com alguém com teste RT-PCR ou sorológico positivo para Covid-19 nos últimos 14 dias;
  2. As garotas não devem fazer mais de um programa presencial a cada duas semanas (máximo de 2 encontros por mês com intervalo de 15 dias);
  3. Não marcar encontro se tiver tido um teste RT-PCR ou sorológico positivo para Covid-19 nos últimos 30 dias (não serve teste rápido);
  4. Fazer teste RT-PCR ou teste sorológico 3 a 5 dias antes de cada programa e só fazer o programa se os resultados forem negativos (não serve teste rápido);
  5. Não usar ar condicionado ou ventilador no ambiente em que estiver com o cliente. Preferir programas que possam ser feitos em lugares abertos e ventilados;
  6. Tanto a garota quanto o cliente, usar máscara o tempo todo. A máscara ideal é a N95;
  7. A garota deverá recusar contato oral do cliente com sua a boca, nariz, rosto e mãos. Evitar contato com as mãos ou rosto do cliente (mãos e rosto são as partes que mais transmitem o coronavírus);
  8. Só fazer programa em lugares que tenham planos de contingência contra a Covid e, portanto, adotam rigorosas medidas de higiene ambiental e outras medidas preventivas respectivamente indicadas em caso de motéis, hotéis ou similares;
  9. Só usar alimentos ou bebidas servidos em embalagem industrializada e fechada. Ainda assim, lavar a embalagem, garrafa, copo, etc. com água corrente e sabão por pelo menos 20 segundos antes de abrir a embalagem ou usar o objeto. Não compartilhar nada de uso pessoal como copo, escova de dente, baton, cigarro, não beber na mesma garrafa, etc.;
  10. Lavar bem o corpo, as mãos e o rosto antes de qualquer contato físico e imediatamente ao fim do programa. Solicitar ao cliente que faça o mesmo. O cliente não deverá tocar as roupas ou objetos pessoais da garota. A roupa usada tem que ser posta imediatamente para lavar ao fim do programa;
  11. Pedir ao cliente para não se deslocar ao local do programa em transporte coletivo;
  12. A garota e o cliente deverão trocar a máscara de uma em uma hora durante o programa. Se for máscara N95, trocar a cada 8h;
  13. Se utilizar máscaras caseiras, optar por máscaras de 3 camadas, amplas e bem ajustadas ao rosto;
  14. Nunca reutilizar as máscaras e sempre descartá-las em lixo de banheiro após retirá-la;
  15. Passar álcool gel nas mãos, superfícies e objetos com frequência durante o programa;
  16. O cliente que morar com alguém que tenham mais de 60 anos, alguém que seja diabético, hipertenso, tenha problemas imunológicos, doenças crônicas dos pulmões, fígado, rins ou coração ou for muito obesa não deverá fazer programas presenciais porque poderá levar o coronavírus para casa, infectar a pessoa com quem mora e esta pessoa adoecer com a forma grave da Covid. Clientes que têm os mesmos problemas citados também correm o risco de contrair a Covid na forma grave e maior risco de morte por Covid. Clientes grávidas também são consideradas de maior risco.

Mais referências

Sugiro, ainda, consultar os seguintes sites para mais informações:

https://noticias.uol.com.br/colunas/leonardo-sakamoto/2020/03/22/coronavirus-nova-york-publica-dicas-de-sexo-seguro-e-recomenda-masturbacao.htm

https://g1.globo.com/bemestar/coronavirus/videos-perguntas-e-respostas/noticia/2020/03/20/coronavirus-cuidados-em-relacoes-sexuais-e-afetivas.ghtml

https://www.febrasgo.org.br/pt/covid19/faq

https://coronavirus.dc.gov/sex

http://www.bccdc.ca/health-info/diseases-conditions/covid-19/prevention-risks/covid-19-and-sex

https://www.health.harvard.edu/blog/intimacy-sex-and-covid-19-2020041519550

Compartilhe esse post:

Artigos relacionados:

Como fidelizar clientes e garantir clientes fixos durante a quarentena
Posso ser uma acompanhante de luxo? – Entenda os requisitos e obtenha informações
Defesa pessoal para garotas de programa: como se proteger sendo acompanhante
Como continuar trabalhando durante o isolamento – Proteção contra o Covid-19 para garotas de programa
JP
JP
Nascido em meados da década de 90, escreve para sites e blogs desde 2009, abordando temáticas variadas da forma mais autêntica possível. Amante de música eletrônica, vida noturna e, o elemento não pertencente ao conjunto, cultura nerd.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *