É melhor ser sugar baby ou acompanhante de luxo? – Entenda as diferenças

Se você é atraente e quer fazer algum dinheiro, mas está em dúvidas se deve se tornar uma sugar baby ou acompanhante de luxo, neste artigo vamos te ajudar a fazer esta escolha!

Hoje falaremos sobre as diferenças entre ser sugar baby e acompanhante, além de definirmos qual a melhor opção para uma garota, através dos prós e contras de cada uma nos possíveis cenários. 

Há quem diga que as sugar babies são apenas uma outra versão das acompanhantes de luxo… mas será mesmo? Vamos entender melhor as suas possibilidades!

Qual o significado de sugar baby e sugar daddy?

Talvez a maioria já saiba o que significa o termo sugaring e seus derivados. Porém, para os desinformados de plantão, o dicionário Webster define assim:

Sugar

1: termo que foi adotado recentemente para descrever o ato de aceitar ou de se envolver em um acordo “sugar baby, sugar daddy”;

Sugar baby

1: termo para definir pessoas jovens (homens ou mulheres), chamados de amantes, que buscam um relacionamento com pessoas mais velhas e bem sucedidas, que as suportem financeiramente com o objetivo de conhecer o melhor do mundo, por meio de viagens, presentes, ajudas profissionais e mentoria.

Sugar daddy

1: pessoas mais velhas, normalmente bem sucedidas, que gastam quantias generosas de dinheiro com um/a amante ou namorado/a. Os homens são chamados de sugar daddies e as mulheres, de sugar mammas; 

Podemos dizer que a definição mais tradicional diz que é quando uma mulher jovem dá carinho e faz companhia a um homem mais velho em troca de presentes e apoio financeiro (ex. pagamento de algumas ou todas as suas contas, faculdade ou algo do tipo). 

Porém, as versões modernas de sugaring geralmente envolvem dinheiro vivo e a expectativa explícita de sexo por parte das/os sugar babies. Na prática, é basicamente “te darei uma quantia ‘x’ por mês e eu quero ‘x’ encontros mensais, incluindo sexo”.

Como funciona o sugaring?

Ls48tIuvSBNMYTR BtpQBYK dG72abpEjuzSfmn1mhcoxvWlElxbE6PXVIaYrA0WHfEpjsBaAdDJeCJWYmXqwtBt2WAJ8wIIZVFlPBppX Xu hvrrU0Z8bT7yGu RRvNHbScdkhG 1

Para tentar explicar facilmente, vamos usar a profissão de babá com exemplo: elas recebem uma quantia determinada para cuidar dos seu filhos e ficam disponíveis no dia/horário em que você precisa delas. 

Pois bem, sugaring seria bem parecido com isso: na hora de contratar sugar baby, os sugar daddies pagam contas, bancam luxos, dão presentes e dinheiro, e em troca recebem os cuidados e favores (incluindo sexuais) de suas garotas, em determinados dias e horários.

Existe diferença entre sugar baby e acompanhante de luxo?

Se a definição de sugar baby acaba soando a mesma de dama de luxo, é porque é isso mesmo! Há quem diga (podem rir) que sugaring não é considerado prostituição porque existe consenso entre as duas partes. 

Bem, prostituição sempre envolve consenso entre as duas partes ou seria estupro, não é mesmo? 

Com isso em mente, temos 6 questões que diferenciam as duas funções:

1. Infantilização da garota e independência

Acompanhantes de luxo não curtem a idéia de serem “infantilizadas” por um relacionamento onde seriam tratados como bebês e tratariam seus clientes como papai.

Em outras palavras, as sugar babies muitas vezes se tornam submissas aos seus daddies, enquanto a acompanhante é uma mulher independente, que não precisa dar satisfação pra macho nenhum.

2. Preconceito

Muitos sugar babies estão confortáveis com essa ideia de sugaring, já que fica mais parecido com um namoro com alguns privilégios. É a ilusão de um namoro com benefícios.

Elas não se consideram trabalhadoras do sexo, porque teoricamente não seria um trabalho, mas sim um acordo com benefícios mútuos.

Muitas delas jamais aceitariam ser chamadas de garotas de programa, e pra fugir deste rótulo tão pejorativo, interpretam que ser sugar não tem nada a ver com prostituição… aham, tá, finjo que acredito!

3. Sentimentos e apego emocional 

Quando se é acompanhante de luxo, já está implícito que amor e apego emocional são inapropriados. O trabalho é visto como uma relação comercial, com limites, regras e expectativas claras.

Já com o sugaring, pelo fato de ser menos visto como comercial e mais como um namoro, sentimentos, expectativas e vínculos podem acabar surgindo mais facilmente. 

4. Quantidade de clientes

Sugar babies possuem somente um parceiro fixo, enquanto as acompanhantes possuem múltiplos clientes. Como as acompanhantes de luxo também tem clientes fixos, conseguem fazer mais dinheiro pois podem atender diariamente quantos clientes acharem válido, somando cachês e mais cachês.

5. Exposição

O sugaring proporciona algo por baixo dos panos, afinal, as garotas não costumam anunciar em sites ou através de agências. Com isso, para quem não pretende atingir qualquer nível de exposição, acaba sendo uma excelente opção.

Por outro lado, as acompanhantes de luxo acabam sim se expondo mais, porém, isso acaba sendo compensado pelo retorno financeiro, comentado justamente no tópico a seguir.

6. Dinheiro

o83dE noSW 3XN2fHkus V0KodjdgW98VNIEdw 4Czv3O ZeRlwxBEHhohlT8SCc6viaIqOivKynXM8NvxNXpc1oe XZH2bTpmaLtJ4XB5yNrzTM0YJKuO c fAyODOKGeT21R 4 3

No vídeo Ask an Escort: Sugar Babies & Sugar Daddies, Sierra Pine, uma acompanhante de luxo que trabalha há mais de 20 anos nos Estados Unidos, revela que por duas vezes fechou acordos mensais do tipo sugaring. O resultado? Péssimas experiências!

Em ambas ela recebeu menos do que devia, (atualmente, recebe entre 400 ou 500 dólares por hora). Em um dos acordos, recebia menos que 5 dólares por hora, além de estadia e refeição. Já no outro, recebia 45 dólares por hora.

É melhor ser sugar baby ou acompanhante de luxo?

Depende!

Se você quiser ser independente e ganhar mais dinheiro, vale mais a pena ser acompanhante de luxo, sem dúvidas! Além da questão dela saber o valor exato que estará entrando no seu bolso por hora, na relação entre acompanhante de luxo e cliente, a garota está sempre no comando. Você escolhe quem quer ou não ver e quando, faz as regras que ditam seu tempo com o cliente, decide quanto vale o seu serviço. 

Se você não quiser se expor e tem medo do preconceito, vale mais a pena ser sugar baby. Obviamente, não se iluda de que você não é garota de programa só porque tem um nome bonitinho. 

Se você quiser ser sugar, muito cuidado!

No vídeo abaixo, a YouTuber Rafaella Cavalcanti, do canal 0 Tabu, conta das experiências terríveis que ela ficou sabendo de garotas que eram sugar babies.

Então, muito cuidado para não serem enganadas e iludidas. Escolham seus daddies com muito cuidado!

Compreenda ambos os lados e escolha o melhor para você

Para concluir, podemos resumir do seguinte modo: ser acompanhante de luxo pode significar ter limites e expectativas mais claros, mais controle e muito mais dinheiro. Porém, é compreensível que o sugaring seja mais confortável para algumas mulheres que temem o preconceito e a exposição.

É ótimo que o sugaring seja uma opção disponível, porém, ser acompanhante de luxo, pode gerar mais momentos bacanas, lucro e até mesmo empoderamento, já que muitas sugar babies acabam se submetendo à péssimas experiências.

Ah, mas de nada adianta falar, falar, e não ouvir, correto? 

Então vamos passar a bola para vocês, meninas, que já estiveram em qualquer uma das posições citadas. 

É só soltar o verbo na seção de comentários, que tal?

Compartilhe esse post:

Artigos relacionados:

6 dicas para GPs de como tratar com seus clientes via WhatsApp (por Escorpianna)
Como fechar mais programas: dicas para acompanhantes e garotas de programa
6 maneiras de vender nudes e ganhar R$6.000 por mês durante pandemia
Guia completo para ser acompanhante de luxo e ganhar R$20.000 por mês em 2020
JP
JP
Nascido em meados da década de 90, escreve para sites e blogs desde 2009, abordando temáticas variadas da forma mais autêntica possível. Amante de música eletrônica, vida noturna e, o elemento não pertencente ao conjunto, cultura nerd.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *