Lina Nakamura fala que espera clientes com plug anal e adorou fazer gangbang com 3 homens: “É um tesão que nem sei explicar”

Idade: 19 anos

Cidade de atendimento: São Paulo

Instagram: @LinaNakamuraOficial

Twitter: @LinaNakamura

Paradise Girl: @Lina-Nakamura

l64K7orcdXGjU VmWEx8WU5K8aFyU9zLbGK H76WolrdDlWiLReLi7QTOoyWkTJN 0mIuDgzP53qgrGJyOKyBGAkQNZK3pmVw5cR259fLssJ4jiwoaR3 3Kaa cmtkFDRftFnXZ 1

Lina Nakamura, a japinha que está fazendo sucesso no Twitter, é a entrevistada de hoje. Com apenas 19 anos, Lina chama atenção pelo seu corpo natural e estilo oriental.

Lina,você é uma das poucas acompanhantes a fazer sucesso com apenas 19 anos. Com quantos anos você fez seu primeiro programa? Como foi?

Bom, no meu primeiro programa eu tinha 18 anos e alguns meses. Estava passando por problemas financeiros e tinha a recém terminado um relacionamento abusivo. Sempre via panfletos estampados nos postes de “contrata-se mulheres de 18 a 25 anos, ótimos ganhos” e foi o gatilho que precisava. 

Óbvio que sabia que era ilusão, estava bom demais pra ser verdade. Mas parte de mim queria ver na prática como era. Já estava solteira, longe da família, não tinha nada a perder. Mergulhei na internet e comecei a pesquisar sobre.

Vi clínicas e boates próximas e anotei no bloco de notas. Selecionei uma, entrei em contato e fui. Fui bem recebida por todos. E já fiquei pra trabalhar. Desfiles pra cá e tremedeira pra lá. O primeiro me escolheu e eu nem acreditei. Foi super querido e me deu carinho e atenção que eu estava precisando. 

Atendi 2 caras no primeiro dia no total. Foi bem fácil, após o primeiro. Eu comecei a criar uma personagem em que eu sempre quis ser desde bem novinha. Porém a timidez atrapalhava bastante. Fiquei nessa clínica por 3 semanas. E fui explorar a vida noturna na serra gaúcha por um tempo.

Nesse vídeo, você dá uns pegas gostosos na @cia_indiazinha, até parece que você está gostando… você é bi?

Sou sim. Estava ADORANDO, pena que não dá pra ver onde acabou (risos). 

Minha bissexualidade, digamos que foi algo bem precoce. Minha primeira relação sexual foi com uma prima aos 13 e repetimos várias vezes e fomos se descobrindo juntas. Com o decorrer do tempo, fiquei com homens também. Porém, relacionado a profissão foi bem confuso pra mim. 

De primeira pensei: Caramba! Vou ficar com tantas mulheres gostosas que também curtem esse mundo de putaria. Mas me decepcionei e muito. Uma festinha com dois clientes e uma garota que havia me convidado é feito toda a propaganda do que íamos fazer. E chegar na hora de cair de boca e a garota falar bem baixinho: “Finge e coloca o cabelo na frente!” Respeitei o pedido dela e fiz.

Entendo que cada um tem seus motivos. Mas com a frequência que isso acontece, acabei ficando frustrada de ficar com mulheres dentro do ramo. A não ser que role mesmo, que ambas queiram, como rolou com a Cléo. Inclusive, saudades…

Poxa, que pena que nem sempre é uma experiência bacana. Você teria uma episódio erótico que tenha curtido bastante?

Então, tive que pensar um pouco melhor e escolher uma. (risos)

Pouco tempo de putaria, mas já tive muitas experiências prazerosas. Como por exemplo: 

Conheci 3 homens em um sexclub que trabalhei em Porto Alegre. Chegaram, pegaram um chopp e foram sentar. Era uma segunda-feira e estava com pouco movimento. Nenhuma das garotas foi cumprimentá-lós e eu tomei coragem e fui fazer “a boa anfitriã”. 

Eles estavam por fazer uma festinha e me pediram pra conhecer outras meninas pra fechar os casais. Consegui retorno com uma, e ela disse que não atendia com homens a mais. Conversa vai, conversa vem e um deles solta a pergunta: Já transou com três caras?

E meu coração parou, e minha bucet* pulsou… e topei sem pensar duas vezes. Me senti uma estrela do pornô! Fiz dupla penetração pela primeira vez e ganhei clientes fixos que atendo até hoje.

Muitas garotas que eu conheci sentem muita pressão em conseguir satisfazer 2 homens, quem dirá três. Você não sentiu essa pressão?

Na verdade não, pelo menos comigo. Parece que minha autoestima vai lá em cima. É um tesão que nem eu sei explicar! Só sentir… (risos)

No tweet abaixo, dá pra ver que você tem muitos brinquedinhos pra satisfazer seus clientes… mas você poderia contar pra gente quais são os SEUS fetiches sexuais?

Tenho um relacionamento sério com VIBRADORES. Eu adoro usar vibrador enquanto faço sexo anal, antes de ir dormir e vendo pornô. Qualquer oportunidade… meto um vibrador! (risos)

Plug anal tenho explorado estes últimos anos e estou adorando! Gosto de receber meus clientes com um desses e ver a cara de surpreso que eles ficam. Tipo “Que safada! Já estava preparada.” (risos)

E por último, meu novo fetiche do momento seria o “squirting”. Tive a algumas semanas e tenho me permitido bem mais a explorar meu corpo. Aquele famoso “relaxa e goza.” (risos)

Lina, não podemos deixar de notar no tweet abaixo que você está fumando um… qual sua relação com a maconha? 

Eu comecei a fumar maconha ainda estava no primeiro ano do ensino médio. Isso nunca afetou meus estudos. Acho que é uma coisa muito polêmica para tanta calmaria. Se gosta, se não… cada um com a sua! Não vejo mal algum em querer desopilar às vezes. E bem comum conhecer clientes que curtem, e outros que abominam.

Outras drogas eu pessoalmente não curto, porém aparecem clientes querendo apenas a companhia e alguém para conversar. Não precisa ir na vibe, vai se quiser.  Se tiver maconha, dependendo da minha vontade no dia, o acompanho.

É um assunto pessoal, conheci muitas meninas quem nem suportavam cheiro de álcool, e quem dirá outras coisas.

Você já fumou maconha com clientes?

Sim, várias vezes.

Em poucas palavras:

Sua fantasia mais sexy? Colegial

Pretende fazer cirurgia estética? Quando estiver perto dos 30 quero colocar próteses de silicone (se ainda tiver vontade)

Bebida favorita? Vinho

Uma série? No momento: Vis a Vis 

Livro favorito? O Doce Veneno do Escorpião

Personagem preferido? Mia Wallace (Pulp Fiction) e Holly Golightly (Bonequinha de Luxo)
Cães ou gatos? Gatos 🐱❤️

Confira o anúncio de Lina Nakamura no Paradise Girl

Caso você esteja interessado em continuar lendo, que tal dar uma olhada em nosso artigo sobre atriz porno acompanhante?

Compartilhe esse post:

Artigos relacionados:

Sofia Dantas fala sobre passado rebelde e o fetiche mais estranho que realizou: “Bizarro”
Conheça a Rangel Carlos, a acompanhante de luxo mais cativante do Brasil
MC Lolitta fala sobre bastidores das lives e como é dividir o espaço com garotas de programa
Yasmin Mineira fala sobre seu pedido de casamento, depressão e os segredos das gravações pornô
Pedro Albuquerque
Pedro Albuquerque
Fundador do Paradise Girl e consumidor do mercado de garotas de programa a mais de 5 anos. Entrou nesta vida em São Paulo, nas melhores boates e sites do Brasil, e teve experiências no Rio de Janeiro, Campinas, Florianópolis e até mesmo em Santiago, no Chile. Estudou engenharia na UFSC, trabalhou em consultoria de negócios e agora se dedica ao empreendedorismo!

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *