Defesa pessoal para garotas de programa: como se proteger sendo acompanhante

A maioria dos homens costuma ser muito gentil na presença de acompanhantes de luxo. Porém, sabemos muito bem que existem pessoas ruins nesse mundo, dispostas a atitudes horríveis e precisamos nos proteger delas.

Sendo assim, é sempre melhor “se” prevenir do que remediar! Entrevistamos e fizemos uma pesquisa com garotas de programas para buscar as melhores práticas de defesa pessoal para garotas de programa. Hoje ensinaremos algumas medidas de proteção para garotas de programa, divididas em três categorias:

  1. Cuidados antes de atender um cliente;
  2. Cuidados durante o atendimento;
  3. Cuidados após o atendimento.

Vamos falar delas por etapas, ou seja, desde o momento em que você detecta um possível cliente potencial até o momento em que você chega em casa, após o encontro.

Possíveis atos de violência contra a mulher

A equipe do Paradise Girl fez um levantamento com as garotas de seu site, que relataram todas as situações de risco e violência que elas passaram:

  • Tentativa de estupro em local público (quando o cliente está dando carona para a garota)
  • Tentativa de estupro coletivo (chegar no local de atendimento e ter mais de um homem)
  • Violência ou ameaças durante o sexo 
  • Violência após o sexo (reagir de forma violenta por não querer pagar)
  • Forçar a garota a usar drogas, com ou sem o consentimento dela (muitas vezes a droga é colocada na bebida, sem que a acompanhante saiba)
  • Tirar a camisinha durante o sexo (pode ser considerado lesão corporal)
  • Stalking (quando o cliente começa a seguir a garota de programa em todos os lugares que ela vai)

Como se proteger antes do encontro

Saber preparar bem um encontro é fundamental para que você sinta-se segura durante ele. Com isso, os itens a seguir são indispensáveis:

1. Faça os agendamentos por WhatsApp

Trate dos detalhes dos encontros por WhatsApp ou mensagens de texto. Marcar encontros pelo ligação telefônica pode ser uma fria, pois será a sua palavra contra a do cliente. Isso pode gerar situações bastante desconfortáveis e a regra de que “o cliente tem sempre razão” pode ser mais forte.

2. Inserir os encontros no calendário online

Seu calendário online funcionará muito melhor do que sua memória na hora de lembrar quando, onde e com quem esteve a cada encontro. Esta dica é muito importante para identificar stalkers, que costumam seguir as acompanhantes após o encontro já ter ocorrido.

Além disso, permitirá que outras pessoas e até mesmo a polícia consiga acessar as informações, no caso de você “desaparecer”. Algo simples assim pode te assegurar mesmo quando não estiver mais com seu cliente.

3. Se for pegar carona com o cliente, ou for atendê-lo na casa dele, peça suas informações pessoais

Em situações de maior exposição, seja no carro ou casa do próprio cliente, lembre-se de pedir as informações pessoais dele, como fotos da identidade e placa do carro. Quanto mais informações conseguir, melhor. Além disso, compartilhe com alguém de confiança estas informações, ou nos grupos de WhatsApp, além de compartilhar sua localização em tempo real.

4. Deixar bem claro tudo o que vai ou não rolar durante o programa

Na prestação de serviços, a expectativa do cliente deve ser sempre atendida ou superada. No trabalho sexual, isso não é diferente. Neste caso, reforçamos este ponto não por satisfação ao cliente, mas sim para que ele não fique frustrado e tome um comportamento agressivo. O cliente deve saber o que receberá pelo seu investimento financeiro, nem mais e nem menos. Assim, não haverá motivo para chateações.

5. Fazer aulas de defesa pessoal

Muitas técnicas podem te ajudar a neutralizar um ataque surpresa. As artes marciais mais comuns são: jiu-jitsu, taekwondo, muay thai, kung fu, MMA, kickboxing e krav maga. Para mais informações, recomendamos uma lida no artigo Hypescience sobre as 10 melhores artes marciais para se defender.

Outra opção bastante interessante são cursos de defesa pessoal para mulheres. Diversas aulas podem ser encontradas no YouTube, como por exemplo o vídeo abaixo, mas recomendamos mesmo que as garotas façam um curso com instrutores qualificados.

6. Adquirir equipamentos de defesa pessoal

Seu conhecimento ou suas técnicas podem não ser suficientes para fugir de um ataque. Com isso, equipamentos de defesa pessoal serão muito úteis. O simples fato de você apontar um spray de pimenta ou taser a um possível agressor, faz com ele recue.

Em uma pesquisa no Twitter realizada pelo Paradise Girl, as 37 respondentes que revelaram que:

A outra opção são os diferentes equipamentos disponíveis no mercado e que não são proibidos pela nossa legislação. Entre eles: facas e canivetes (facilidade de carregar), kubaton (bastão pouco maior que a palma da mão e pontiagudo) e a push dagger (adaga pequena com lâmina curta e cabo em formato de T).

Mas, apesar de não ser ilegal portar esses equipamentos de defesa pessoal, recomendamos que você também faça um treinamento adequado. Assim, você se sentirá segura e saberá exatamente como reagir em uma situação inesperada.

c47mOx60OULtAVY1PbRLqwRsjHd1HgH1oihJHslvwFAZWF1I4wVuQAvShCWxOi3kFnKh9Xo mLCgvEzuzJXWbAsQ5zrY 1
Arma de choque com lanterna e alarme embutido.

Cuidados ao chegar no local marcado

Existem várias formas de transporte para você chegar ao local do encontro, mas, se optar por ir com seu carro, evite que o cliente a veja ou até mesmo saiba que você dirige.

Isso porque, com a placa do seu carro, se o cliente tiver algum amigo policial, poderá puxar seus dados, como nome verdadeiro e até seu endereço.

Se você estiver pegando carona com o cliente, ou atendendo ele à domicílio, lembre-se do passo 3 do tópico anterior: peça as informações pessoais do cliente, e compartilhe sua localização em tempo real com suas amigas ou em grupos de apoio à garotas de programa no WhatsApp.

O que fazer durante o encontro

Já ouvimos que “entre quatro paredes, vale tudo”, mas, não é bem assim. No caso das garotas de programa, alguns cuidados devem ser tomados:

1. Observar o espaço

Os encontros podem acontecer no seu espaço ou no do cliente. Quando for no seu, fica mais fácil se cercar de opções para defesa. Você pode, por exemplo, deixar uma ou mais “armas” estrategicamente escondidas. Assim, poderá acessar rapidamente se estiver servindo um drinque no bar ou na cozinha, estiver no sofá, na cama, ou até mesmo no banheiro.

Já no espaço do cliente, dê uma boa olhada em tudo logo que chegar, para imaginar o que poderia usar facilmente para causar dor. Podem ser facas, bastões e até mesmo objetos de decoração. De qualquer forma, você pode levar a sua “arma”, não custa. 

Observe também se o cliente está com uma mochila ou algum volume. Ele pode muito bem carregar algo não combinado no serviço e que pode te ferir de alguma forma.

2. Guardar a sua bolsa

Sua bolsa é algo muito importante no contexto do seu trabalho, já que pode conter seus documentos, preservativos, chaves do carro e até algum objeto de defesa pessoal. Deixá-la à mão pode ser crucial em um momento de pânico. Então, escolha um local estratégico e tome cuidado para que seu cliente não a pegue. 

Se for de carro, deixe seus documentos originais no carro ou os esconda bem na bolsa. Se possível, não carregue nenhum documento original que possa te identificar, já que o cara poderia simplesmente espionar sua bolsa enquanto você vai ao banheiro.

3. Ficar atenta à sua bebida

Infelizmente, é muito comum sabermos de casos de garotas que foram drogadas por meio de substâncias colocadas em suas bebidas. Então, apesar de parecer óbvio, não descuide de seu copo, caso decida ingerir alguma bebida durante o encontro.

4. Observar sinais de embriaguez e alteração no cliente

O álcool é a droga lícita mais utilizada no Brasil, de acordo com dados do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid), da Unifesp. Ele não somente está associado à violência, como também parece favorecer o seu prolongamento.

Quando o álcool está presente, o sexo masculino é responsável por quase 90% dos casos de violência, contra 53% quando o homem está sóbrio. 

Então, é importante observar se o cliente apresenta sinais de embriaguez logo que você chegar ao local do encontro. Se isso acontecer, registre por mensagem, para que ele possa ler quando estiver sóbrio, o motivo de não atendê-lo, e vá embora. E isso vale também para outras drogas pesadas, em especial a cocaína.

Deu merda? Ligue pro 190 e peça socorro!

Se mesmo após todas essas dicas, você se encontrar em uma situação de risco e não consegue escapar, tente ligar para o 190, e caso não seja possível, grite “socorro”. Independente de onde você estiver, um grito de socorro muitas vezes será eficiente. Não tenha vergonha e não fique constrangida, apenas grite!

Medidas ao sair do local marcado

YXU56gL3 Efcth8b7iIp7nwrf1ZEGCM9n1BfqWzfKMMwmSlz79YaepHReiNLigWLskMumOEna0mthUU6AAZRIVVpJ9rBxHfqDwULd9y rfwSssQ9begLUYWUpP3uw6HyNSG4eJCe 3

O encontro pode ser no seu espaço ou no do cliente, não importa. A questão é que mesmo que um cliente não tenha intenção de te machucar durante um encontro, não significa que não poderá tentar te seguir até sua casa ou descobrir seu nome verdadeiro, planejando te achar mais tarde. 

Então, tome cuidado quando sair de um encontro. Observe se não está sendo seguida, estando com o seu carro ou de táxi. Caso você desconfie que está sendo seguida, faça um caminho estranho ou pare em algum lugar, como um shopping, posto de gasolina ou loja. Isso te dará tempo para dar uma olhada ao redor e ter a certeza de que está segura para ir embora.

Pode acontecer também do cliente te oferecer uma carona. Neste caso, não deixe que ele te leve até sua casa, mantenha seu endereço sempre em sigilo. Também pode ser uma boa você anotar a placa do carro e inserir na sua agenda, junto à informação do encontro ou enviar para alguma amiga, por segurança, caso você desapareça.

Dê atenção ao seu sexto sentido

Seu sexto sentido é uma arma importantíssima, talvez mais até que uma arma de fogo ou um pontapé no saco de um cliente!

O inconsciente de muitas garotas, após muito tempo na profissão, já aprendeu coisas que nem mesmo seu consciente é capaz de detectar. Então, quando alguma coisa te soar estranha, mesmo que você não saiba o porquê, simplesmente caia fora!

Até mesmo antes de marcar um encontro, enquanto ainda estiver na fase de troca de mensagens, seu sexto sentido pode “apitar” para te alertar de que algo está errado. Se isso acontecer, ao invés de ficar questionando, talvez seja melhor dar uma desculpa e não marcar com o cliente em questão.

Todo cuidado é pouco!

Não existe uma receita secreta com um único ingrediente quando o assunto é a sua segurança. O importante é a quantidade de itens que você está disposta a usar para se prevenir. Como diz o ditado, “o seguro morreu de velho”!

Tem mais alguma dica de segurança? Escreve pra gente nos comentários abaixo que se a dica for boa, vamos inserir no corpo do artigo e ajudar que mais garotas possam se proteger!

Compartilhe esse post:

Artigos relacionados:

Como fidelizar clientes e garantir clientes fixos durante a quarentena
Guia para fazer um ensaio sensual profissional incrível e atrair 60% mais clientes!
Como ser uma acompanhante de luxo – Guia para garotas de programa
Como fechar mais programas: dicas para acompanhantes e garotas de programa
JP
JP
Nascido em meados da década de 90, escreve para sites e blogs desde 2009, abordando temáticas variadas da forma mais autêntica possível. Amante de música eletrônica, vida noturna e, o elemento não pertencente ao conjunto, cultura nerd.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *